QUALIDADE DE VIDA DOS PORTADORES DE ESCLEROSE MÚLTIPLA: REVISÃO DE LITERATURA

Autores

  • Jhonathan Lima de Almeida
  • Joarlison da Silva Vanzella
  • Laryssa Lima Trelha
  • Ruth Silva Lima da Costa
  • Marília Perdome Machado

DOI:

https://doi.org/10.53612/recisatec.v2i1.57

Palavras-chave:

Esclerose Múltipla; Fatores de Risco; Qualidade de vida.

Resumo

Esclerose múltipla (EM) é uma doença crônica autoimune onde as células de defesa do organismo atacam o próprio sistema nervoso central causando a destruição da bainha de mielina. Seus sintomas podem variar dependendo do local que foi acometido pela reação inflamatória repercutindo em alterações na vida diária do portador. O presente estudo objetiva identificar os fatores que comprometem a qualidade de vida dos portadores de esclerose múltipla. Trata-se de uma revisão sistemática da literatura realizada nos bancos de dados da  Scientific Electronic Library Online (SCIELO) e Medical Literature Analysis and Retrievel System Online (PUBMED), em estudos publicados no período compreendido entre de janeiro de 2018 a dezembro de 2019. Após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão foram selecionados 8 estudos que compuseramm o escopo da pesquisa. Os principais fatores relacionados ao desenvolvimento de esclerose múltipla são  a depressão, a fadiga e a ansiedade e que contribuem  para uma pior qualidade de vida dos portadores, afetando progressivamente o bem estar  desses indivíduos trazendo consequências físicas e psicológicas. Novos estudos sobre a temática são necessários com o intuito de dar visibilidade ao tema e subsidiar o trabalho de profissionais de saúde no atendimento aos portadores de esclerose, com o intuito de melhorar a sua condição

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jhonathan Lima de Almeida

Centro Universitário Uninorte

Joarlison da Silva Vanzella

Centro Universitário Uninorte

Laryssa Lima Trelha

Centro Universitário Uninorte

Ruth Silva Lima da Costa

Mestre em ciências da Saúde. Docente do curso de Medicina. Centro Universitário Uninorte. Rio Branco, AC, Brasil. 

Marília Perdome Machado

Centro Universitário Uninorte

Referências

Silva A, Costa F, Baptista M, Febra T, Morna C. Esclerose Múltipla: duas apresentações clínicas, uma só doença! Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. 2014; 9 (33): 365-370.Doi: 10.5712/rbmfc9(33)753

Bertotti AP, Lenzi MCR, Portes JRM. O portador de esclerose múltipla e suas formas de enfrentamento frente a doença. Barbarói. 2011; 34:101-124. Doi: https://doi.org/10.17058/barbaroi.v0i34.1539

Brasil. Ministério da Saúde. Alentuzumabe no tratamento da esclerose múltipla remitente recorrente após falha terapêutica a duas ou mais terapias. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias. 2018. Acesso em: dezembro de 2021. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Relatorios/2018/Relatorio_Alentuzumabe_EMRR.pdf

Associação Brasileira de Enfermagem (ABEM). O que é Esclerose Múltipla? Associação Brasileira de Esclerose Múltipla. 2016. Disponível em http://abem.org.br/esclerose/o-que-e-esclerose- multipla/. Acesso em 15 de março.2021.

Machado R, Almeida R, Perla A, Scheffer M. Esclerose múltipla e diferentes escores da escala expandida do estado de incapacidades (EDSS): funções executivas e qualidade de vida [Internet]. Hdl.handle.net. 2021 [citado em 10 de dezembro de 2021]. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/166265. Doi: http://hdl.handle.net/10183/166265

Lima GOS, Paula PC, Abdalla DR, Abrahão DPS, Carvalho EEV, Amui SB. Avaliação da qualidade de vida e capacidade física de pacientes com esclerose múltipla. Jornal de ciências biomédicas e saúde. 2016;2(1):25-32.

Nielsen M, Ferreira G, Marotto L, Ferreira N. análise da qualidade de vida em pacientes com esclerose múltipla. Salus Journal of Health Sciences. 2017; 3 (2). Doi: 10.5935/2447-7826.20170012

Andrade V, Seabra M, Ramos I. Correlação entre fadiga e desempenho ocupacional de indivíduos com esclerose múltipla. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar. 2015; 23 (4): 795-802. Doi: 10.4322/0104-4931.ctoao0592

Oberg LMCQ. Significando a vivência das pessoas com doença autoimune do sistema nervoso, na perspectiva das demandas de cuidado: contribuições para a enfermagem e para a saúde integral. Tese. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, p. 1-179. 2018. Acesso em: dezembro de 2021. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-964358.

Rodrigues KI. Assistência de Enfermagem ao portador de Esclerose Múltipla: revisão integrativa. Campus Universitário de Sinop, Mato Grosso, 2015.Acesso em dezembro de 2021. Disponível em: https://bdm.ufmt.br/bitstream/1/1691/1/tcc-2015-kamila%20ingrid%20rodrigues.pdf

Galvão TF, Pereira MG. Revisões sistemáticas da literatura: passos para sua elaboração. Epidemiologia e Serviço de Saúde. 2014;23(1):183-184.

Silva M, Cavalcanti D. Avaliação da qualidade de vida em portadores de esclerose múltipla: impacto da fadiga, ansiedade e depressão. Fisioterapia e Pesquisa. 2019; 26 (4): 339-345. Doi: 10.1590/1809-2950/17005426042019

Broersma F, Oeseburg B, Dijkstra J, Wynia K. O impacto das limitações autopercebidas, estigma e senso de coerência na qualidade de vida em pacientes com esclerose múltipla: resultados de um estudo transversal. Reabilitação clínica. 2017; 32 (4): 536-545. Doi: 10.1177/0269215517730670

Strober L. Qualidade de vida e bem-estar psicológico nos estágios iniciais da esclerose múltipla (EM): Importância de adotar um modelo biopsicossocial. Disability and Health Journal. 2018; 11 (4): 555-561.Doi: 10.1016/j.dhjo.2018.05.003

Salhofer-Polanyi S, Friedrich F, Löffler S, Rommer P, Gleiss A, Engelmaier R et al. Qualidade de vida relacionada à saúde na esclerose múltipla: o temperamento supera a EDSS. BMC Psychiatry. 2018; 18 (1). Doi: 10.1186/s12888-018-1719-6.

Muñoz FJJ. ¿La asociación entre la calidad de vida relacionada con la salud y la fatiga está mediada por la depresión en pacientes con esclerosis múltiple? Un estudio transversal español. BMJ Open.2018; 8 (1): 1-6.

Duka Glavor K, Titlić M, Vuletic G. Quality of life and health of patients in early stages of Multiple sclerosis. Psychiatr Danub. 2019;31(Suppl 1):118-125. PMID: 30946730..

Pinto CR, Guerra M. The influence of the meaning of life and psychosocial factors on the quality of life of patients with multiple sclerosis. A-N-A. Psychological. 2018;36 (4):439-453.

Camargo Rojas AP, Gómez López AM, Hernández L.F, Palacios Sánchez E Symptoms present in multiple sclerosis: case series. Acta Neurol Colomb.2018 34 (2): 108-114.

Downloads

Publicado

10/01/2022

Como Citar

Almeida, J. L. de, Vanzella, J. da S., Trelha, L. L. ., Costa, R. S. L. da ., & Machado, M. P. . (2022). QUALIDADE DE VIDA DOS PORTADORES DE ESCLEROSE MÚLTIPLA: REVISÃO DE LITERATURA. RECISATEC - REVISTA CIENTÍFICA SAÚDE E TECNOLOGIA - ISSN 2763-8405, 2(1), e2157. https://doi.org/10.53612/recisatec.v2i1.57