PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUÍDO NO TRABALHO: ANÁLISE DE CASOS, MECANISMOS FISIOPATOLÓGICOS E REPERCUSSÕES SÓCIO PREVIDENCIÁRIAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53612/recisatec.v2i8.159

Palavras-chave:

PAIR, Hipoacusia, Repercussões socio previdenciárias

Resumo

A perda auditiva induzida por ruído – PAIR – constitui importante entidade nosocomial responsável por motivos de consulta na especialidade de Otorrinolaringologia e sua interface com o mundo do trabalho é objeto de interesse também para a Medicina do Trabalho, com consequentes implicações no absenteísmo e licenças médicas dos pacientes acometidos, que por sua vez impactarão o sistema sócio previdenciário. Os perfis mais sujeitos a serem afetados por PAIR envolvem homens jovens, negros, com baixa escolaridade e sem união estável. Indústrias como a metalurgia e a tecelagem, bem como as atividades desenvolvidas em lavanderias, serralherias e marcenarias, estavam associadas à maior exposição sonora ruidosa. Logo, é uma enfermidade ocupacional que deve ser prevenida, uma vez que os danos são irreversíveis e podem gerar aposentadorias precoces.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Ramalho de Araújo Lemos Vieira

Discente do Curso de Medicina UniCEUB

Isadora Vitti Vieira Borges

Discente do Curso de Medicina UniCEUB

Mauro Souza Tagliatte

Discente do Curso de Medicina UniCEUB

José Guilherme Barboza de Souza

Discente do Curso de Medicina UniCEUB

 

Helena de Souza Chagas

Discente do Curso de Medicina UniCEUB

Antonio Garcia Reis Junior

Médico de família e comunidade. Mestre em Saúde Pública. Docente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Brasília - UniCEUB.

Referências

MERLUZZI, F. Patologia da rumore. In: SARTORELLI, E. Trattatodi medicina del lavoro. Pádua: Piccin Editore, 1981. v. 2. p.1119-1149.

FELDMAN, A. S.; GRIMES, C. T. Hearing conservation in industry. Baltimore: The Williams & Wilkins, 1985.

World Health Organization. Global healthrisks: mortality and burden of disease attributable to selected major risks. Geneva: World Health Organization; 2009.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Perda auditiva induzida por ruído (Pair) / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2006

CID-10 - Classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID - 10: descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. Porto Alegre: Artmed, 1993.

AMERICAN COLLEGE OF OCCUPATIONAL AND ENVIRONMENTAL MEDICINE; ACOEME EVIDENCE BASED STATEMENT. Noise induced hearing loss. J. Occup. Environ. Med., [S. l.], v.45, n. 6, jun. 2003.

Ministério do Trabalho e Emprego. Portaria nº 1.297, de 13 de agosto de 2014. Aprova o Anexo 1 - Vibração - da Norma Regulamentadora nº 9 - Programas de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), altera o Anexo 8 - Vibração - da Norma Regulamentadora nº 15 - Atividades e Operações Insalubres, e dá outras providências. Diário Oficial da União 2014; 14 ago.

Brasil. Decreto nº 93.413 de 15 de outubro de 1986. Promulga a Convenção nº 148 sobre a Proteção dos Trabalhadores Contra os Riscos Profissionais Devidos à Contaminação do Ar, ao Ruído e às Vibrações no Local de Trabalho. Diário Oficial da União 1986; 16 out.

Assunção AÁ, Abreu MNS, Souza PSN. Prevalência de exposição a ruído ocupacional em trabalhadores brasileiros: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Cadernos de Saúde Pública, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00094218

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 777, de 28 de abril de 2004. Dispõe sobre os procedimentos técnicos para a notificação compulsória de agravos à saúde do trabalhador em rede de serviços sentinela específica, no Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 28 abr. 2004.

DE SOUSA NETO, A. T. M. et al. Avaliação de ruído e sua relação com os benefícios da insalubridade e previdência social. Novas dinâmicas das engenharias: atualidades e perspectivas, 2021. DOI: https://doi.org/10.47242/978-65-995500-5-8-6

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n.131 de 11 de julho de 1997. Portaria do INSS com Respeito à Perda Auditiva por Ruído Ocupacional. Diário Oficial da União; 1997; 9 jul.

ARAÚJO, S. A. Perda auditiva induzida pelo ruído em trabalhadores de metalúrgica. Revs. BrasOtorrinolaringol. V.68, n. 1, 47-52, Jan./Fev. 2002 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-72992002000100008

BARCELOS, Daniela. Análise do risco ruído em indústria de confecção de roupa. Rev. CEFAC 16 (1), Mar. 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-021620149912

DIAS, A., Cordeiro, R., Corrente, J.E., Gonçalves, C.G.O. Associação Entre Perda Auditiva Induzida por Ruídos e Zumbidos. Caderno de Saúde Pública, V. 22, n. 1, p.63 - 68. Jan. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2006000100007

HYPPOLITO, A., et al. Ototoxicidade da Cisplatina e Otoproteção pelo Extrato de Ginkgo Biloba às células ciliadas externas: estudo anatômico e eletrofisiológico. Rev. Bras. de Otorrinolaringol. V. 69, n. 4. Ago. 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-72992003000400011

OLIVEIRA, J.A.A, Rossato, M.D.M.C. Otoproteção das Células Ciliadas Auditivas Contra a Ototoxicidade da Amicacina. Rev. Bras. Otorrinolaringol. V. 68, n.1, p.7-13. Jan. 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-72992002000100002

Downloads

Publicado

31/07/2022

Como Citar

Ramalho de Araújo Lemos Vieira , H., Vitti Vieira Borges, I., Souza Tagliatte, M., Barboza de Souza, J. G., Souza Chagas, H. de ., & Garcia Reis Junior, A. (2022). PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUÍDO NO TRABALHO: ANÁLISE DE CASOS, MECANISMOS FISIOPATOLÓGICOS E REPERCUSSÕES SÓCIO PREVIDENCIÁRIAS. RECISATEC - REVISTA CIENTÍFICA SAÚDE E TECNOLOGIA - ISSN 2763-8405, 2(8), e28159. https://doi.org/10.53612/recisatec.v2i8.159

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)